Sahifa fully responsive WordPress News, Magazine, Newspaper, and blog ThemeForest one of the most versatile website themes in the world.
Dr. Otto Metzger é médico da casa
18 de novembro de 2021
Dr. Dirceu Vilela de Azevedo é médico da casa
2 de dezembro de 2021
Veja mais

Entrevista com Dr. Luide Sena Maia – Novembro Azul: câncer de próstata

Novembro Azul é o mês de conscientização e combate ao câncer de próstata, o segundo câncer mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não melanoma.

Segundo dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de próstata é a causa de morte de 28,6% da população masculina. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos. Números que mostram a importância da prevenção e detecção precoce.

Para saber mais sobre o Câncer de Próstata, conversamos com o urologista da Santa Casa, Dr. Luide Sena Maia.

 

O que é a próstata e o que seria, então, o câncer de próstata?

Próstata é uma glândula que só o homem tem, localizada na parte pélvica entre a bexiga e o pênis. Faz parte do trato geniturinário masculino, auxiliando na produção do esperma, que irá nutrir os espermatozóides. Tem basicamente uma função reprodutiva, mas também auxilia no controle urinário masculino.

O câncer de próstata é uma alteração dessa glândula quando, de uma maneira indiscriminada, suas células começam a se multiplicar e são diagnosticadas como neoplasias. A tendência é que essas células caiam na corrente sanguínea e migrem para outras partes do corpo, o que chamamos de metástases.

Quais os fatores de riscos?

O principal fator é a hereditariedade: se há casos de um ou mais parentes de primeiro grau, o risco é aumentado. Além disso, acrescentamos homens negros e indivíduos obesos como parte desse grupo de risco para o câncer de próstata.

Há sintomas?

No início da doença não há sintomas, por isso é importante a consulta urológica para que se possa, de maneira individualizada, entender em qual indivíduo deve ser feita a avaliação para o câncer de próstata.

Em uma fase mais tardia, podem aparecer sintomas como a dificuldade para urinar,  sangue na urina, no esperma e até mesmo dores ósseas, quando existem as chamadas metástases ósseas.

Quais os principais tratamentos?

Em relação aos tratamentos do câncer de próstata, vai depender muito de qual tipo de câncer estaremos cuidando, se é agressivo ou pouco agressivo e se, no indivíduo acometido, tem indicação ou não de tratamento ativo. Caso o câncer seja agressivo, tenha indicação para tratamento ativo e esse câncer esteja localizado somente na próstata, temos basicamente duas opções de tratamento: a cirurgia ou a radioterapia. A cirurgia pode ser via robótica, por pequenos furinhos na barriga onde passam os instrumentos para remover a próstata auxiliado com uso do robô, ou por laparotomia, onde é feito um corte maior na pele. Todas com excelente resultado em relação a cura da doença. Já a radioterapia é uma opção que pode ser utilizada para aqueles que não querem se submeter a uma cirurgia ou para quem não possui condições cirúrgicas, quando a saúde do paciente não permite ser submetido a uma cirurgia de grande porte.

Temos ainda que lembrar que no indivíduo que tem a doença em estágio avançado, que não será realizada cirurgia e nem radioterapia, ele será tratado por outras modalidades, como hormonioterapia e  quimioterapia, auxiliando no controle da doença. Assim  mesmo sabendo que não teremos cura, podemos oferecer mais qualidade de vida ao paciente.

Ainda há muito preconceito em relação ao exame do toque retal?

Quando o paciente procura o consultório urológico, o médico irá definir juntamente com ele a necessidade ou não de se fazer o toque retal. Hoje, nos homens, a partir dos 45 anos de idade, com fatores de risco já mencionados e homens sem esses fatores, a partir dos 50 anos, é recomendado fazer a avaliação da próstata, não apenas por causa do câncer, mas também devido ao crescimento prostático que vem com o envelhecimento.

Já em relação ao preconceito, isso vem diminuindo, até porque é um exame simples, indolor, com duração de uns 5 a 10 segundos e não possui nenhum custo, pois faz parte da consulta médica.

Além do exame do toque, há outros exames para diagnóstico?

Além do toque há ainda o exame de sangue, que chamamos de PSA (antígeno prostático específico). Em alguns casos, temos  exames de imagens, como a ressonância multiparamétrica, que vai nos orientar se devemos ou não realizar a biópsia. Há também os exames genéticos, que podem ser utilizados para saber quais pessoas tem risco maior de desenvolver esse tipo de câncer.

Quais as principais medidas de prevenção?

Existe uma prevenção primária efetiva para esse e outros tipos de câncer: a adoção de uma vida saudável com mais exercícios físicos, banhos de sol moderados e uma alimentação sem produtos industrializados.

Qual ou quais conselhos o senhor pode dar aos homens neste Novembro Azul?

Quando me pedem esse conselho eu costumo lembrar que o homem vive, em média, sete anos a menos que a mulher. E é o momento do homem entender que a avaliação de sua saúde deve ser feita, não apenas em relação à próstata, mas de forma geral. É a hora ir no urologista e realizar exames também para medir a sua glicose , o colesterol, os hormônios, por exemplo. Momento de fazer um check up para que possa ter mais qualidade de vida.